depilacao-a-laser

Depilação a Laser: dicas para escolher o melhor tratamento

A depilação a laser configura-se hoje como a arma mais efetiva para combater aqueles pelos indesejáveis que insistem em perseguir as mulheres. O laser tem a capacidade de eliminar cerca de 30% dos pelos a cada sessão, sendo possível bloquear uma boa parte do seu crescimento até o final do tratamento. Isso significa que você já pode dar um “fim” nas ceras, lâminas, aparelhos elétricos e cremes depilatórios.

De acordo com a dermatologista, Luciana Macedo de Oliveira (CRM-92.409), Diretora Médica da Clinique des Arts, as aplicações do laser podem ser feitas a cada 40 dias. “O tempo completo para o tratamento depende de diversos fatores como a região do corpo a ser depilada, do tipo de laser empregado, da produção de hormônios, da cor da pele e do tipo de pelos. O número de sessões pode variar de 5 a 10, e em alguns casos é necessário fazer até 20 sessões para obter uma redução permanente satisfatória”, explica a dermatologista.

A depilação a laser tem melhores resultados em algumas áreas do corpo como a virilha e axilas, onde os pelos são mais grossos e escuros. Já na face, onde eles são mais finos e claros, é necessário um tempo maior, sendo a previsão para todo o tratamento uma média de 20 sessões, entre aplicação e retoque.

 

Afinal, qual é o melhor tratamento?

Para que a sua depilação tenha sucesso, é necessário optar pelo método mais indicado para o seu tipo de pele e pelo. Os aparelhos devem ter a potência precisa para elimina-los sem danificar a sua pele.

“Cada laser trabalha com um comprimento de onda diferente. Quanto maior o comprimento de onda, maior será a penetração do laser nos tecidos”, revela a dermatologista, Luciana Macedo de Oliveira. Quanto mais fino o pelo, mais superficial ele fica na derme e quanto mais grosso, mais profundo ele se localiza na derme. Por isto é importante escolher o comprimento e onda adequado para cada tipo de pelo.

 

Tipos de laser

Cada laser apresenta um comprimento de onda específico e uma indicação mais precisa, por exemplo, pelos grossos ou finos, pele branca ou morena,etc.

 

Laser Alexandrita

Esse é um dos lasers mais eficientes de todos, pois situa-se num comprimento de onda intermediário entre todos os outros, sendo capaz de enxergar desde pelos mais finos e claros até pelos mais grossos e escuros informa a médica Luciana Macedo de Oliveira.

 

Diodo ou Light Sheer

É um laser eficaz em peles brancas com pelos grossos e escuros e também é o tratamento mais dolorido de todos.

“Ele possui um mecanismo que protege a pele e evita manchas por meio do seu resfriamento. Pessoas com todos os tipos de pele podem recorrer ao método, inclusive as negras, que sofrem mais de foliculite”, informa a dermatologista.

 

ND:YAG

O tratamento é suave e indicado para peles morenas ou negras. Ele destrói o pelo pela absorção da luz pelo pigmento melanina. O seu resultado é uma redução permanente dos pelos, com eliminação de cerca de 70 a 90% dos pelos.

 

Luz pulsada (LIP)

A LIP apresenta vários comprimentos de onda e pode ser utilizada para outros tratamentos, além da depilação como: Fotoenvelhecimento, manchas, acne, estrias ou irregularidades na textura da pele.

O procedimento funciona melhor em pessoas de pele clara e pelos escuros, pois a luz é atraída pelo pigmento escuro, descarregando sua energia nas áreas pigmentadas e destruindo o folículo piloso. Por ter comprimentos de onda menores, age melhor nos pelos finos e claros.

 

E agora? Qual deles eu escolho?

Os pelos mais fininhos encontrados no rosto reagem melhor com o método de luz pulsada. Já os pelos mais grossos respondem bem ao laser de diodo. O Nd-Yag deve ser utilizado em peles negras, pois não age na porção superficial da pele, como a maior parte dos lasers, e sim na porção mais profunda da derme, não oferecendo perigo de queimar e manchar a pele.

“A redução dos pelos por meio do laser é permanente, porém não definitiva. Porém, o laser não impede o crescimento de novas penugens no local. Após alguns meses, pode surgir um ou outro pelinho na região, mas geralmente eles são escassos e finos”, alerta dermatologista Luciana Macedo de Oliveira.

 

Cuidados com a depilação

Após a depilação a laser é necessário tomar alguns cuidados para não manchar a pele. Evite tomar sol durante o tratamento. O laser pode ser inofensivo à pele quando ela está branquinha, mas pode causar queimaduras se a pele estiver bronzeada. “Isto acontece porque o laser age por fototermólise seletiva, ou seja o laser é atraído pelo pigmento do pelo que está dentro do folículo. A energia do laser é absorvida e vai destruir a porção ativa do folículo, o bulbo capilar. Quando estamos bronzeados, o laser “se confunde” e acaba lesando as células bronzeadas da epiderme, correndo grande risco de queimaduras e manchas”, explica a Dra. Luciana. Evite o uso de cremes com ácidos. Se for necessário depilar a região tratada entre uma sessão e outra, opte pela lâmina, para que o laser não perca a sua referência de leitura.

“Caso a sua pele apresente bolhas avermelhadas ou manchas vermelhas após 48 horas depois de uma sessão, é um sinal de que a depilação foi feita de forma incorreta ou que o método aplicado não é o ideal para você. Informe o seu dermatologista para que ele indique o tratamento adequado”, aconselha a médica.

Dermatologista Luciana Macedo de Oliveira – CRM – SP 92.409, Diretora Médica da Clinique des Arts.

A depilação a laser configura-se hoje como a arma mais efetiva para combater aqueles pelos indesejáveis que insistem em perseguir as mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *